Gestão

O que é Lean Inception?

23 de Junho de 2020

por Marketing

Tempo de leitura: 8 min

Voltar

Entenda a Lean Inception, método criado por Paulo Caroli para obtenção de MVPs 

Para criar um produto digital novo ou reformular um produto já existente não basta simplesmente ter um ideia e começar a escrever códigos. No entanto, como obter um projeto consistente no mínimo tempo possível? Paulo Caroli, consultor da ThoughtWorks, respondeu a essa pergunta com a Lean Inception

Caroli formaliza o conceito e o programa de uma Lean Inception, pela primeira vez, no livro Lean Inception: como alinhar pessoas e construir o produto certo, que foi seguido por títulos como Direto ao Ponto: criando produtos de forma enxuta e por vários textos em seu site

Neste post, vamos compreender a origem desse modelo de planejamento de produtos, o que é uma Lean Inception, como ela funciona na prática e, finalmente, a que tipo de equipes ela se destina

A origem da Lean Inception 

De acordo com Paulo Caroli, depois de anos trabalhando com o desenvolvimento de projetos, ele notou certa similaridade entre as atividades que precedem seu desenvolvimento propriamente dito. Uma delas era a necessidade de um alinhamento prévio entre a área de negócio e a área técnica

Essas necessidades, em seus projetos, até então eram atendidas pela Inception. Essa é a primeira fase do RUP – Racional Unified Process, metodologia ágil para engenharia de softwares criada em 2003 e composta das seguintes fases: Inception, Elaboration, Construction e Transiction. 

Após conduzir muitas Inceptions, Caroli questionou a longa duração do processo, em torno de duas semanas a um mês, e que funcionalidades criadas não eram utilizadas, gerando desperdício de tempo, esforços e recursos. 

Isso o levou a enxugar a Inception. Foi no livro A startup enxuta, de Eric Ries, e no conceito de MVP – Mininum Viable Product, que ele encontraria a sua solução tanto para reduzi-la quanto para otimizá-la. 

O que é uma Lean Inception  

Uma Lean Inception é um workshop coletivo que visa alinhar o entendimento das áreas de negócio e técnicas sobre um produto em seus aspectos mais fundamentais

Dessa definição já saem diferenteças entre a Inception e a Lean Inception. Segundo Caroli, na Inception, o objetivo era planejar um release bem detalhado do produto, já o objetivo da Lean Inception é planejar o MVP

Com uma navalha de Ockham, Caroli propôs a remoção da Inception de tudo que não fosse produto. Assim, elementos como arquitetura, projeto, histórias de usuários seriam deixados de lado – pelo menos nesse momento. 

Para a Lean Inception, ficaram as definições das funcionalidades que tornam um produto viável, ou seja, o escopo de produto capaz de gerar negócios e valor para os usuários, validando ou invalidando as hipóteses assumidas. Por isso, seria reduzida a perda de tempo, de recursos e de energia com o desenvolvimento de apetrechos secundários. 

Daí a conexão da Inception com o Lean. O MVP é a versão mais básica pela qual um produto pode ser utilizado pelos seus usuários. Ele tem as features fundamentais, o core do produto, bem menos desenvolvido do que sua versão completa.  

Esta será construída incrementalmente, pelo mesmo processo de validação do primeiro MVP, em um movimento de entregas rápidas e contínuas ao longo do tempo. 

Quando fazer uma Lean Inception?  

A Lean Inception acontece bem no começo de projetos, quando tanto as áreas de negócio quanto as áreas técnicas ainda têm apenas um esboço de produto em mente: quem serão seus usuários e sua jornada até o produto, quais serão as funcionalidades do produto ou o escopo e agenda das entregas.  

Ela se aplica a projetos grandes e pequenos, em grandes ou pequenas empresas e startups, sendo uma maneira de alinhar todas as equipes envolvidas em torno de um mesma visão de negócio e de um entregável. 

Esse é um bom momento para entender quem participa do processo. 

Quem participa de uma Lean Inception? 

A Lean Inception muitas vezes é chama por Caroli de workshop colaborativo, explicitando seu aspecto coletivo. 

Ela pode envolver stakeholders, além dos membros ativos do time de produto: desenvolvedores, product owners, scrum masters, gerentes de projetos e UX designers. É bom que sejam pessoas com formações bem diferentes. 

Além disso, a Lean Inception conta com um facilitador, um agile coach experiente no processo e neutro, que vai explicar e conduzir o processo e todas as atividades aos participantes. 

Embora o próprio Caroli não especifique um número exato de participantes de uma Lean Inception, ele gira em torno de 10 a 30 pessoas.

A Lean Inception: como se chega a um MVP em 5 dias  

Sabemos que uma Lean Inception dura uma semana e que seu resultado é um MVP. Parece algo pretensioso. Portanto, o que acontece ao longo desse período? 

A Lean Inception envolve uma sequência de atividades standard, uma receita, segundo Caroli.  

Tal como a design sprint, requer uma preparação prévia, com reserva de agenda de todos os participantes, sala (war room) bem confortável e exclusiva, quadros, post-its, canetas, folhas A4 e lanches. 

Vamos ao resumo do roteiro de uma Lean Inception, tal como concebida por Caroli:

Dia 1: Apresentações, kick-off, visão do produto e objetivos 

O dia começa com uma rápida apresentação dos membros do workshop, após a qual se faz uma orientação sobre as necessidades e objetivos da Lean Inception e a construção da visão de produto

Ao final, o grupo obterá uma frase mais ou menos com essa estrutura, de acordo com Caroli:

visão de produto caroli lean inception
Visão de produto

 

Neste dia, essa visão do produto é aprofundada na ação O produto é, não é, faz, não faz

Depois disso, o grupo está bem aquecido para uma definição final dos objetivos do produto

Dia 2: personas e descoberta de features 

Todo produto digital é feito para pessoas. E a melhor maneira de representá-las é por meio de personas. Portanto, o segundo dia é dedicado a construção detalhada desse personagem, com nome, perfil, comportamento e necessidades. Para se aprofundar em suas características, Caroli sugere a produção do Mapa da Empatia

mapa da empatia lean inception
Mapa da empatia

Após, chega-se no brainstorm de funcionalidades. Caroli sugere que o ponto de partida seja a pergunta: o que o produto deve ter para atender este objeto e para aprender a necessidade da persona? 

Sim, as features serão listadas de acordo com os objetivos e com as personas. 

Dia 3: nivelamento de features 

No dia anterior, as features foram listadas, mas não discutidas. Este dia é fundamental porque é o que produzirá aquele alinhamento entre as áreas técnicas e de negócios de que falávamos acima. 

aprofundamento em cada funcionalidade listada se dará nos seguintes termos:  

  • entendimento técnico versus entendimento de negócio;  
  • esforço necessário versus retorno financeiro versus user experience. 

O resultado desse nivelamento de features ajuda a priorizar, estimar e planejar o projeto.  

Dia 4: jornadas do usuário e sequenciador de features 

No quarto dia, o primeiro objetivo é descrever as jornadas do usuário, ou seja, cada passo que o usuário dará para alcançar seu objetivo ou atender a sua necessidade. Essa jornada vai esclarecer o que acontecerá antes, durante e depois da interação do usuário com o produto. 

Essas jornadas, além de ajudarem a determinar se há features faltando ou sobrando, serão úteis para a organização e visualização delas no sequenciador de features. Nesta etapa, o grupo vai decidir o que será feito, seguindo várias regras. 

O resultado desse trabalho serão os MVPs, formando várias ondas de desenvolvimento. 

Dia 5: canvas MVP e showcase 

Coroando os esforços dos cinco dias anteriores, o último dia será dedicado ao preenchido o MVP Canvas, o instrumento que validará as ideias sobre o produto. Ele contém persona, jornadas, visão do produto, features, custos e agenda, resultados esperados e métricas para validação das hipóteses de negócio. 

canvas MVP
Canvas MVP

Por fim, será feito o showcase: uma revisão geral de todo o MVP Canvas, que validará os resultados obtidos nos dias anteriores. 

Lean Inception: a visão mais completa do seu produto em cinco dias 

Vimos, de maneira reduzida, que o resultado de uma Lean Inception é um MVP, aquela visão do produto mais simples possível acabado, com a qual todos concordam.  

Quando bem conduzido, o método tem se mostrado como uma maneira efetiva de gerar aprendizado, orientando e acelerando o começo dos trabalhos de uma equipe, e, ao mesmo tempo, de minimizar riscos, esforços e perda de tempo. 

Inclusive, a Lean Inception tem sido nossa recomendação para organizações que chegam a nós com projetos promissores, mas ainda incipientes, sem uma visão clara sobre persona, jornada, features e escopo. 

Quer conversar mais a respeito? Entre em contato com nossos especialistas.   


Escrito por Marketing

Outras Postagens

Crie soluções personalizadas e integradaspara todas as áreas da sua empresa

Quero Saber mais

Fique Atualizado Assine nossa Newsletter

Oportunidades Participe dos melhores projetos!

Se você está em busca de um ambiente descontraído, cheio de oportunidades de crescimento e em constante evolução, confira as oportunidades!

Saiba Mais

Cadastro por interesse

Nosso time está pronto para entender o seu negócio e auxiliá-lo a encontrar a melhor solução.

Deixe seu melhor e-mail abaixo que entraremos em contato.

Indique este post para alguém...